domingo, 24 de janeiro de 2021

Tudo sobre colesterol! e suas falácias!


A ciência nem sempre é exata, conceitos até então tidos como certos mudam, mas quando se tratam de pessoas, o importante é procurar ajuda de um profissional que, querendo ou não, atendeu dezenas, centenas, senão milhares de pessoas em sua vida clínica e possui parâmetros empíricos que comprovem as medidas adotadas quanto ao controle do colesterol. Nem sempre uma pesquisa científica é certa e muitas podem ser tendenciosas. Basta procurar na Internet que se acha pesquisas tanto para A quanto para B!


O que ocorre é que uma grande parte da população brasileira é carente de recursos. Idas e vindas à um médico especialista, um endocrinologista, por exemplo, torna-se uma tarefa quase impossível e quando se consegue, são clínicos gerais do sistema público de saúde e que não conseguem ou não tem a expertise necessária para tratar caso a caso e estas pessoas acabam por sucumbir à falácias da internet de médicos que não clinicam, não conviveram com diversos pacientes, não conhecem a realidade de tratamentos novos e assim colocam a saúde de terceiros em perigo. Lógico que a indústria farmacêutica é bilionária e procura lucros, mas são justamente por ter resultados positivos é que se os obtêm! 

Para se ter da gravidade do cenário, a maior parte da população brasileira é carente de conhecimentos científicos básicos, aqueles nos ensinado durante o ensino médio. Pode parecer absurdo, mas muitos nomes famosos da Internet quanto à saúde, não dizem nada mais que o básico, conhecimento generalista. Estas "meias verdades" são confortantes e, na maioria dos casos, convenci aquele que não contêm o conhecimento variado.

Desta forma, este artigo trás um esclarecimento superficial do que se tem certeza hoje em dia, até que se prove o contrário, sobre o colesterol, suas propriedades e formas de controle.


Existem três tipos principais de colesterol no corpo. O HDL, ou colesterol bom, ajuda a remover o excesso de colesterol do corpo. O LDL, ou colesterol ruim, em altas quantidades leva a um acúmulo de placas nas artérias. O VLDL, por sua vez, também contribui para isso.

Outra substância incluída nos testes laboratoriais de lipídios são os níveis de triglicérides, um tipo de gordura. Triglicérides altos podem ser um sinal de excesso de gordura corporal ou aumento do risco de diabetes tipo 2. Eles também podem indicar o consumo de muitas calorias, especialmente de grãos refinados ou alimentos e bebidas com açúcares adicionados. Triglicérides também podem ser elevados em pessoas que fumam ou bebem muito álcool.

Sendo assim, se houver muito colesterol no corpo, ele se acumula. O acúmulo de cera, chamado placa, adere ao interior das artérias. Como as artérias estreitam e entopem, o sangue passa a fluir de maneira mais difícil através delas. Desse modo, o bloqueio pode levar a coágulos sanguíneos, derrame ou doença cardíaca.


Cerca de 70 % do colesterol total é produzido pelo fígado e os outros 30 % ingeridos através de alimentação. Entretanto não é por conta deste fato que podemos abusar da alimentação pois estes 30 % fazem diferença na conta que não fecha de quem tem leves problemas com os níveis de colesterol. Existe uma falácia que ingerir colesterol irá compensar a produção natural do corpo e assim causar a diminuição dos níveis. Esta teoria não é comprovada e é perigosa. 

Há diversos fatores de risco que podem elevar o colesterol de uma pessoa:

Genética: O colesterol alto pode ser uma característica presente em algumas famílias.

Idade: À medida que envelhecemos, nossos níveis de colesterol aumentam.

Medicamentos: certos medicamentos podem elevar os níveis de colesterol.

Obesidade: Indivíduos com índices de massa corporal com excesso de peso ou obesos correm maior risco de ter colesterol alto.

Dieta: consumir grandes quantidades de gorduras saturadas e trans pode elevar os níveis de colesterol LDL.

Inatividade: atividade ajuda a elevar o colesterol HDL. A falta de atividade tem o efeito inverso – aumenta o colesterol LDL.

Tabagismo: os produtos do tabaco diminuem o HDL e aumentam o LDL. A ligação entre fumar e colesterol alto é maior para as mulheres.

Bem, já sabemos que o colesterol alto faz mal. Se for em razão da genética, talvez seja necessário tomar um remédio para reduzir os índices. No entanto, todas as pessoas com colesterol alto podem se beneficiar de um estilo de vida saudável do coração. E, se você estiver em risco, mudanças simples no estilo de vida podem ajudar a reduzir o risco.

Para isso, é necessário manter uma dieta equilibrada, ser fisicamente ativo e alcançar um peso corporal saudável. Quando se trata de um plano de alimentação saudável, quatro mudanças na dieta podem ajudar a manter seu colesterol sob controle:

Desfrute de alimentos com esteróis vegetais e estanóis

Alguns alimentos – óleos vegetais, nozes, sementes e cereais integrais – contêm substâncias chamadas esteróis vegetais e estanóis. Por isso, comer alimentos ricos nessas substâncias pode ajudar a combater os níveis de colesterol total e LDL.

Limite sua ingestão de gordura saturada

As gorduras saturadas são encontradas principalmente em alimentos de origem animal, como carnes e laticínios integrais. Uma alta ingestão de gordura saturada pode contruibuir para elevar o LDL, ou seja, o colesterol que faz mal quando alto. Além disso, estudos também mostraram que a substituição de fontes de gordura saturada por gorduras insaturadas pode ajudar a diminuir os níveis de colesterol total e LDL.

Para ajudar a reduzir o consumo de gordura saturada

Cozinhe com óleos vegetais, como azeite, canola, girassol e cártamo. Coma alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3, como salmão, nozes e linhaça moída. Escolha produtos lácteos com baixo teor de gordura ou sem gordura. Ou seja leite com 1% de gordura, iogurte sem gordura ou queijos com baixo teor de gordura.

Além disso, troque a manteiga e a banha por opções de óleo vegetal mais saudáveis. Também evite gorduras trans – elas aumentam os níveis de LDL e são encontradas em alimentos altamente processados.


Exite aqui uma falácia da Internet de alguns autores sobre o caso dos óleos vegetais e que nossos avós comiam em banha de porco e viviam muito.
Os dados são claros. A expectativa do brasileiro e do ser humano em geral vem aumentando a cada ano. Isto é fruto de qualidade de vida, saneamento básico, avanços da medicina e controle da saúde no geral. 

As estatinas são ruins mas são um mal necessário para àqueles que de outra forma, sucumbiriam a doenças graves degenerativas causadas pelo acúmulo de gorduras no organismo. 

Selecione Proteínas Magras

Proteínas magras fornecem menos calorias de gordura. Por isso, opte por cortes magros. Para saber como escolher, confira as dicas:

Verifique o pacote para as palavras lombo ou redondo.

Retire a pele do frango e do peru para obter uma opção mais saudável.

Opte por assar, cozinhar, refogar ou grelhar carnes magras, peixes e aves.

Depois de cozinhar a carne moída, retire cuidadosamente o excesso de gordura.

Evite carnes gordas, marmorizadas ou fritas e outros alimentos ricos em gordura saturada

Escolha opções mais saudáveis ​​quando comer fora, selecionando alimentos assados, cozidos ou grelhados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário