quarta-feira, 6 de maio de 2020

Os dados e o Mundo!

Nos anos 80, era notável a capacidade do disco de 1.44 MB, envelopado num invólucro de plástico, 3,5 polegadas, algo como uma caixinha de 8 x 5 cm, os disquetes. Veio a substituir os famosos discos flexíveis, os Floppys discs, de 5 polegadas e incríveis 720 KB de armazenamento, isto utilizando duas cabeças, dois lados e dupla densidade, assim diziam as propagandas. Quando muito, 1,2MB.
Não há tanto tempo assim, seu computador pessoal possuía algo como 120 GB de disco rígido ou o famoso HD(Hard Disk) e um pouco antes, os maiores discos que tínhamos, para nossos PC XT´s, os primeiros computadores pessoais, chegavam a 30 MB.
Para os mais animados, haviam ainda as fitas cassetes com jogos para os mini Pc´s como TK85, TK90X, MSX, e outros. Um jogo grande, possuía algo como 10 minutos de um chiado, representando não mais que 40 KB.
Antes da Internet, conhecida de qualquer criança nascida hoje, utilizávamos as BBS. Conexões discadas em que trocávamos mensagens em ambientes próprios, de alguns poucos usuários. Não mais que 30, 40, quando muito 100. A conexão não passava de, quando a telefonia ajudava, 14400 Bps (bits por segundo).

As coisas evoluíram, a Internet chegou, se democratizou de forma relativamente rápida, as conexões discadas foram sendo substituídas por conexões dedicadas, passando por várias tecnologias. Os provedores ofereciam serviços sem fio, que depois passou para cabos coaxiais e hoje, finalmente chegamos as fibras ópticas residenciais. Algo que confesso que não imaginava acontecer devido ao país em que estamos.
Nossos dados hoje são gerados a todo momento. Os Smartfones, geram "toneladas" de informações e as redes sociais a todo instante geram dados neste mundo interconectado.

Estamos migrando para as "nuvens" e os dados, nem sequer sabemos onde estão. É claro, que tudo isto exige, no final das contas, um lugar físico para serem armazenados. Os chamados data centers, alguns espelhados pelo mundo, como os da gigante Google, seguem armazenando e distribuindo os dados dos usuários.
Mas, qual seria o tamanho das informações que a todo momento circulam no mundo?
Bem, no ano 2000 eram 800.000 PB(Petabytes) de dados que foram armazenados no mundo e para 2020 espera-se que este número chegue aos 35 Zettabytes.
Para termos uma ideia, o Facebook, gera 10 TB por dia e o Twitter, com suas postagens, gera algo como 7 TB por dia.
A troca de dados em massa e os custos de transmissão destes dados, são os fatores predominantes nestes números astronômicos. Aplicações científicas, vigilância por vídeos, registro médicos,  dados operacionais de empresas, e-commerce são outros exemplos, além das redes sociais que geram dados massivos.
Em 2011, a International Data Corporation alegou que a informação do mundo está dobrando a cada dois anos. Naquele ano, o mundo tinha gerado um escalonamento
de 1,8 ZB de dados, um aumento de 0,6 ZB ano a ano.
Por fim, prevê-se que em 2020 o mundo gerará até 35 ZB de dados. Isto coloca desafios significativos para o armazenamento e tratativas destes dados!
Desta forma, para termos uma ideia dos valores que foram ditos neste artigo, segue um quadro demonstrativo das escalas usadas.
Para conhecimento, um bit, é a menor unidade de informação/armazenamento. É o famoso 0 ou 1. Um Byte é o conjunto de 8 bits.
Múltiplos do byte
Prefixo binário (IEC)Prefixo do SI
NomeSímboloMúltiploNomeSímboloMúltiplo
byteB20byteB100
kibibyteKiB210kilobytekB103
mebibyteMiB220megabyteMB106
gibibyteGiB230gigabyteGB109
tebibyteTiB240terabyteTB1012
pebibytePiB250petabytePB1015
exbibyteEiB260exabyteEB1018
zebibyteZiB270zettabyteZB1021
yobibyteYiB280yottabyteYB1024
Em se tratando de tecnologia, os dados são monstruosos, porém, é impossível predizer o que vem a seguir. Estamos todos protagonizando as cenas dos próximos capítulos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário