quarta-feira, 27 de julho de 2016

Não é uma cura, saiba tudo sobre a vacina cubana contra o câncer de pulmão !

Após cerca de 25 anos de estudos, cientistas cubanos chegaram a uma vacina eficaz contra o câncer de pulmão. Chamada de Cimavax, esta vacina não previne o câncer, mas proporciona uma sobrevida maior aos pacientes de câncer de pulmão avançado.
Agindo sobre uma proteína específica, impede o crescimento das células cancerígenas do câncer de pulmão. Alguns tipos de câncer, como o de pulmão, forçam o corpo a produzir essa proteína de forma descontrolada, fazendo com que algumas células passem a crescer e se dividir de forma incontrolável. A premissa da vacina é estimular a produção de anticorpos que bloqueiem a ação do EGF, diminuindo, assim, a multiplicação das células cancerosas.
A vacinação é iniciada no momento que o paciente conclui seu tratamento, com radioterapia e/ou quimioterapia e é considerado sem outras alternativas terapêuticas. A vacina, então, pode ser administrada como um tratamento crônico, de manutenção, porque ajuda a controlar o crescimento do tumor sem toxicidades associadas, o que torna maior a expectativa e melhora a qualidade de vida do paciente.
Muita atenção! É possível reduzir a taxa de crescimento do tumor. Mas isso não significa cura: estudos realizados pelo próprio CIM para testar a eficácia da vacina mostraram que pacientes que receberam doses da Cimavax sobreviveram em média algo entre 4 e 6 meses a mais do que os que não foram vacinados.
Apesar de ser um grande avanço da medicina, a Imunoterapia não é uma novidade ! A imunoterapia é composta por diferentes medicamentos, que são aplicados no paciente de maneira intravenosa (nas veias) ou subcutânea (abaixo da pele). Geralmente, ela causa menos efeitos colaterais que a quimioterapia e a radioterapia. Trata-se de uma abordagem promissora, que vem beneficiando um número crescente de pacientes, com respostas duradouras e melhor qualidade de vida.  Os interferons e as interleucinas são os principais representantes dessa classe de medicamentos (citocinas), que ainda são empregados em diversas situações. Com os constantes avanços, porém, as novas modalidades de imunoterapia se tornaram mais direcionadas e específicas contra os diferentes tipos de tumores. Por isso, se tornam também mais eficazes.
Os novos imunoterápicos agem como se soltássemos os freios do sistema imune, incentivando o organismo a identificar e combater as células tumorais", explica o dr. Rodrigo Ramella Munhoz, oncologista no Hospital Sírio-Libanês. "Ou ainda modificando as células de defesa do próprio paciente, por meio da bioengenharia, para que essas células passem a reconhecer alvos específicos relacionados ao câncer".
É importante salientar que não podemos nos render aos sensacionalismos em busca de clicks. A vacina cubana gera uma sobrevida para os pacientes, o que é muito bom, mas não é uma cura ou uma prevenção !  É sabido que 90 % dos cânceres de pulmão são ocasionados pelo tabagismo e a melhor medida para evitar a doença ainda é uma atitude de hábitos saudáveis, como por exemplo, não fumar !

Fonte: https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/


Nenhum comentário :

Postar um comentário