domingo, 29 de maio de 2016

Conheçam a cratera Sedan, a maior cratera artificial feita pelo homem !

Com fins civis, o governo dos Estados Unidos fez uma série de experimentos utilizando o poder de bombas nucleares na década de 60.
Acreditava se que poderiam utilizar o poder nuclear para diversas obras grandes e complexas, como ampliar o canado do Panamá, abrir caminhos em zonas montanhosas,  interconectar aquíferos, criar grutas, dentre outras obras !
Uma das primeiras propostas discutidas foi a criação de um porto artificial no Cabo Thompson (Alaska) mediante o uso de várias bombas de hidrogênio. O Projeto Chariot, que foi como batizaram o plano, foi finalmente cancelado devido às queixas da população autóctone, temerosa ante as consequências que podia ter sobre suas vidas uma explosão atômica, e a que implicava uma enorme despesa em uma infra-estrutura de duvidosa rentabilidade econômica.
Anos depois, numa área desértica situado no condado de Nye (Nevada) que desde 1951 vinha sendo utilizado pelo Departamento de Energia norte americana  para fazer testes nucleares, em 6 de julho de 1962 explodiram ali uma bomba de 104 kilotons. Ficou conhecido como teste Sedan.
A explosão deslocou mais de 12 milhões de toneladas de terra, escureceu o céu num raio de 8 km, gerou ondas sísmicas equivalentes a um terremoto de 4,75 graus na escala Richter e criou um cratera de 390 metros de largura e 98 de profundidade, o maior provocado até hoje por uma explosão nuclear.
A chuva radioativa afetou mais cidadãos que nenhum outro teste realizada em solo. Em Iowa, Nebraska, Dakota do Sul e Illinois foram detectados dias depois níveis de contaminação perigosos. Ao todo, calcula-se que mais de 13 milhões de cidadãos dos Estados Unidos se viram expostos aos perigos da radiação nuclear.



A cratera Sedan é visitada anualmente por 10 mil turistas e, como curiosidade, cabe destacar que foi utilizado pelos astronautas da Apolo 14 antes de partir à Lua. A desolação que o rodeia fez dele um lugar ideal para simular parcialmente as condições que encontrariam ao chegar no satélite.

Nenhum comentário :

Postar um comentário