domingo, 8 de novembro de 2015

O caso do carro a água !

Há alguns meses um vídeo viralizou na Web. Um brasileiro teria inventado um carro movido à água.
Na reportagem feita pela  TV tribuna, publicada em março de 2015, um inventor capixaba teria adaptado um Kit gerador de hidrogênio em seu veículo e assim o mesmo percorreu mais de 1000 km´s com 1 liro de água..
O processo mostrado no vídeo é um velho conhecido da ciência, ou seja, a eletrólise da água, onde através de uma corrente elétrica separam se os átomos de hidrogênio (H2) e oxigênio (O) da água.
Entretanto, aí já está um problema para o tal invento. A água, por si só, não conduz eletricidade, e para tal, faz se necessário a adição de alguma substância, como por exemplo o sal de cozinha ou a soda cáustica, dentre outros, para que sejam liberados íons e assim, o processo de eletrólise possa acontecer. Sim, você em sua vida, pode ter tomado um choque no chuveiro de sua casa, mas isto é porque a água que bebemos ou usamos no dia a dia, contém diversos sais minerais. Mesmo assim, para que tenhamos um bom desempenho da eletrólise, os sais minerais que temos na água de nossas casas não são suficientes.

Saindo um pouco da questão dos princípios da química, existem na história, diversos inventos de motores a água. Patentes já foram registradas em 1978, em nome do norte-americano Yull Brown. Chamado de “Gás Brown”, a suposta mistura hidrogênio-oxigênio “inventada” por ele foi contestada por vários cientistas e provou ser uma fraude em um artigo de 2008 da revista especializada PopularMechanics. Na verdade, o motor de Brown funcionava com combustível normal e água e, segundo que afirmava-se, servia para reduzir o consumo da gasolina. A alegada economia de combustível vinha, na realidade, de regulagens feitas nos carburadores dos veículos onde os equipamento eram instalados.
Em 1983, Wang Hongcheng,  aproveitando-se do crescimento e da proliferação das pseudociências e das superstições na China, Hongcheng conseguiu investimentos do Governo e de outros apoiadores o equivalente a mais de 30 milhões de dólares para o financiamento de seu invento: Um liquido capaz de transformar água em combustível! Porém, descobriram que o inventor era um charlatão e ele amargou 10 anos de cadeia.
Em 2010, o norte-americano Denny Klein, criou um projeto onde um veículo movido a água  percorria 160 Km com 1 litro de água! Seu "invento" porém, nunca saiu do papel.

Voltando as questões da química e da física, temos outros problemas relacionados a questão da geração e uso do hidrogênio para alimentarmos motores à explosão, como o  "invento" do brasileiro.
Um dos maiores problemas é que na melhor da hipóteses e utilizando os melhores recursos, a eficiência para geração de hidrogênio está em torno de 70 %.
Assim, com o uso dos melhores equipamentos já descobertos pelo homem, materiais e técnicas, acredito que não é o caso do kit de hidrogênio modificado do rapaz, 1/3 da energia gasta na produção do hidrogênio se perde no processo.
Neste artigo do site autoblog, fica demonstrado que dos 24 kWh de energia vindos do motor, somente 14 kWh seriam devolvidos de volta. Dessa forma, em poucos quilômetros o veículo deixaria de funcionar.
Além disto, o alternador do veículo, responsável pela recarga da bateria, entraria em colapso em conjunto com a bateria, que seria exaurida rapidamente para manter a alta demanda do "kit" para a produção do hidrogênio. Assim, o veículo pode até andar, mas por um breve período.
Somado a tudo isto, temos outra variável que é a ineficiência de um motor à combustão interna. Estes motores, em perfeito funcionamento e atuais, possuem eficiência na casa dos 25 %. Isto quer dizer que 75 % da energia gerada pela combustão, seja lá do que for, se perde em calor e resistência mecânica das peças internas e externas ao motor. Em resumo, a quantidade de energia gasta para gerar o hidrogênio pela eletrólise é maior do que a energia que o hidrogênio irá gerar na combustão interna pelo motor;
Além disto existem diversos Kits de hidrogênio sendo vendidos na Web que prometem uma melhor autonomia do veículo. Eu mesmo acreditava nestes kits. Porém,  vários testes já foram feitos com esse tipo de produto e a sua eficácia beira ao zero por cento! Em janeiro de 2014, por exemplo, a revista automotiva Quatro Rodas testou o mais popular desses  kits que estão à venda por aí e concluiu que o aparelho (vendido a R$2mil) não diminuiu em nada o consumo de combustível.

Outros inventos interessantes usando se a água foram feitos. Em 2006, uma equipe de engenheiros mecânicos da Universidade de Minnesota (EUA) descobriu que a água reage com um elemento químico chamado boro, quebrando suas moléculas e liberando hidrogênio puro a partir da água mineral. O problema é que o boro se desgasta muito rápido! Para se ter uma ideia, na produção de hidrogênio, cada 45 litros de água consome 18 quilos do minério. Não preciso dizer que ficaria algo muito mais caro do que os combustíveis fósseis usados hoje em dia.
Além disto, seria quase um crime, utilizar um motor à combustão interna para o caso do hidrogênio ! A aposta mais certeira da indústria são as células de combustível, onde se combinam o hidrogênio e o oxigênio na presença de um catalisador e nesta reação são liberados água e elétrons livres que geram assim uma corrente elétrica. Um motor elétrico, que possui uma eficiência superior, além de inúmeros outros fatores, como torque, silêncio, frenagem gerando uma recarga de baterias(força contra eletromotriz), é utilizado.

Em minha opinião, e que fique assim registrado, é um grande caso de fraude !
Freud provavelmente explicaria !
A todo momento precisamos de coisas incríveis acontecendo, faz parte da natureza humana, o sensacionalismo ! O "invento" pode ter funcionado por algum tempo, como explico acima, e a mídia local, querendo aproveitar desta notícia bombástica usou se da situação. Depois de um tempo circulando na net, alguém verificou que o caso era algum tipo de fraude ou algo perto disto, e para não prejudicar os envolvidos calou se sobre a questão.

Para tudo que foi escrito aqui, existe um princípio químico ou físico. Basta pesquisarmos em sites sérios de ciências para qualquer tipo de esclarecimento !

Nenhum comentário :

Postar um comentário