quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Curiosidades sobre o bocejo !

Acometendo tanto os animais quanto o homem, o bocejo está relacionado ao sono, porém segundo as últimas pesquisas, o bocejo é uma forma do organismo se livrar do sono.
Ao bocejar a pessoa estimula a circulação sanguínea e diminui a temperatura corporal, o que colabora para aumentar o estado de atenção.
Quando uma pessoa boceja, o reflexo humano é de, em circunstâncias complexas, sem nenhuma percepção aparente, bocejar em resposta. Para este fato ainda não se tem explicações válidas. A teoria mais aceita seria que trata se de uma forma primitiva de comunicação para sinalizar as condições do ambiente.

Segundo os estudiosos existem várias teorias para causa dos bocejos:
Teoria física - nossos corpos induzem o bocejo para obter mais oxigênio e retirar um acúmulo de dióxido de carbono. Esta teoria ajuda a explicar o motivo de bocejarmos quando estamos em grupos. Grupos grandes de pessoas produzem mais dióxido de carbono, o que significa que nossos corpos criam o bocejo para conseguir mais oxigênio e se livrar do excesso de dióxido de carbono. No entanto, se nossos corpos nos fazem bocejar para obter o oxigênio de que precisamos, por que não bocejamos durante os exercícios? Robert Provine, um psicólogo da Universidade de Maryland, no Condado de Baltimore (em inglês), e um dos maiores especialistas em bocejo, testou esta teoria. Dar oxigênio a pessoas e diminuir a quantidade de dióxido de carbono no ambiente onde elas estavam não diminuiu a quantidade ou impediu que os bocejos acontecessem.
Teoria da evolução - há quem ache que o bocejo começou com nossos ancestrais, que costumavam bocejar para mostrar seus dentes e intimidar os outros. Um desdobramento dessa teoria é a ideia de que o ato de bocejar se desenvolveu nos primeiros homens como um sinal para que mudassem o que estavam fazendo.
Teoria do tédio - o dicionário diz que o bocejo é causado por tédio, fadiga ou sonolência. Embora tenhamos a tendência de bocejar quando estamos entediados ou cansados, esta teoria não explica o motivo pelo qual os atletas bocejam antes de uma competição. Não parece provável que eles fiquem entediados com o mundo inteiro os assistindo.
Um recente estudo realizado por Ivan Norscia e Elisabetta Palagi, da Universidade de Pisa, demonstra que o contágio do bocejo é dirigido primariamente pela proximidade emocional entre indivíduos e não por outras variáveis, tais como a nacionalidade . Segundo o estudo um bocejo recíproco é mais provável de acontecer entre membros de uma família, amigos e conhecidos. O fenômeno é menos comum em estranhos . Também, estranhos mostram maior demora na resposta ao bocejo (período de latência), em comparação com amigos e parentes.
Atualmente a teoria mais aceita é a de que o bocejo é causado por um feromônio semelhante ao medo. Ao bocejar, o cérebro ativa um mecanismo de defesa presente desde os primeiros hominídeos, que libera o feromônio. Durante as caças e guerras, era inevitável que em algum momento sentissem cansaço e ao bocejar ficavam vulneráveis. O cérebro, então, se encarregava de causar a mesma ação em quem estivesse próximo, incluindo outros animais, permitindo uma vantagem de alguns segundos.
Com o passar da evolução, o bocejo perdeu a característica principal de defesa, e hoje atua como um reflexo retrocognitivo involuntário, podendo ser ativado por representações visuais.

Nenhum comentário :

Postar um comentário