quinta-feira, 25 de setembro de 2014

27 de setembro, dia do rádio, relembremos seus idealizadores !

Neste dia 25 de setembro, comemora se o dia do rádio. Lembremos um breve resumo da história deste meio de comunicação revolucionário !
Foi James Clerck Maxwell quem demonstrou teoricamente a provável existência das ondas eletromagnéticas em 1863 em Cambridge - Inglaterra.
Entretanto foi com Hertz, em 1887 , que vieram os princípios da propagação radiônica. Hertz fez saltar faíscas através do ar que separavam duas bolas de cobre. Por causa disso os antigos "quilociclos"  passaram a ser chamados de "ondas hertzianas" ou "quilohertz".


No final do século XIX, o italiano Marconi, fundou a primeira companhia de rádio, em Londres - Inglaterra. Em 1896 Marconi já havia  demonstrado o funcionamento de seus aparelhos de emissão e recepção de sinais na própria Inglaterra, quando percebeu a importância comercial da telegrafia. Apesar disto, a suprema corte americana entendeu que o mérito da patente deve ser dada a Nikola Tesla, devido a Marconi utilizar se de diversas patentes do mesmo. 19 no total. E foi Tesla quem teorizou pela primeira vez a possibilidade de se transmitir sinais de rádio.
 Até então o rádio era exclusivamente "telegrafia sem fio", algo já bastante útil e inovador para a época, tanto que outros cientistas e professores se dedicaram a melhorar seu funcionamento como tal. O funcionamento era simples. um conjunto de pulsos longos ou curtos, era captado pelo receptor e convertido em linguagem pelo operador. A ausência do sinal ou não, definia os pulsos.
Oliver Lodge (Inglaterra) e Ernest Branly (França), por exemplo,  inventaram o "coesor",  um dispositivo que melhorava a detecção. Não se imaginava, até então, a possibilidade do rádio transmitir mensagens faladas, através do espaço.
 Em 1897 Oliver Lodge inventou o circuito elétrico sintonizado, que possibilitava a mudança de sintonia selecionando a freqüência desejada.
Lee Forest, desenvolveu a válvula triodo. Von Lieben, da Alemanha e o americano Armstrong empregaram o triodo para amplificar e produzir ondas eletromagnéticas de forma contínua.
No Brasil o rádio crescia: um Padre-cientista gaúcho, chamado Roberto Landell de Moura, nascido em 21 de janeiro de 1861, construiu diversos aparelhos importantes para a história do rádio e que foram expostos ao público de São Paulo em 1893.
Teleauxiofono e Caleofono e Anematófono aparelhos de telefonia com fio;
Teletiton ,telegrafia fonética, sem fio, com o qual duas pessoas podem comunicar-se sem serem ouvidas por outras;
Edífono, destinado a ducificar e depurar as vibrações parasitas da voz fonografada, reproduzindo-a ao natural.

Já em 1890 o padre-cientista Landell de Moura previa em suas teses a "telegrafia sem fio", a "radiotelefonia", a "radiodifusão", os "satélites de comunicações" e os "raios laser". Dez anos mais tarde, em 1900, o Padre Landell de Moura obteve do governo brasileiro a carta patente nº 3279, que lhe reconhece os méritos de pioneirismo científico, universal, na área das telecomunicações. No ano seguinte ele embarcou para os Estados Unidos e em 1904, o "The Patent Office at Washington" lhe concedeu três cartas patentes: para o telégrafo sem fio, para o telefone sem fio e para o transmissor de ondas sonoras.
Nos Estados Unidos foram anos de pesquisas, tentativas e aprimoramentos até Lee Forest instalar a primeira "estação-estúdio" de radiodifusão, em Nova Iorque, no ano de 1916. Aconteceu então o primeiro programa de rádio, que se tem notícia. Ele tinha conferências, música de câmara e gravações. Surgiu também o primeiro registro de   radiojornalismo, com a transmissão das apurações eleitorais para a presidência dos Estados Unidos.
 A partir de 1919 começa a chamada "Era do rádio".  O microfone surge através da ampliação dos recursos do bocal do telefone, conseguidos em 1920, nos Estados Unidos, por engenheiro da Westinghouse.
Foi a própria Westinghouse que fez nascer, meio por acaso, a radiofusão. Ela fabricava aparelhos de rádio para as tropas da Primeira Guerra Mundial e com o término do conflito ficou com um grande estoque de aparelhos encalhados. A solução para evitar o prejuízo foi instalar uma grande antena no pátio da fábrica e transmitir música para os habitantes do bairro. Os aparelhos encalhados foram então comercializados.
A primeira transmissão radiofônica oficial no Brasil, foi o discurso do Presidente Epitácio Pessoa, no Rio de Janeiro, em plena comemoração do centenário da Independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1922. O discurso aconteceu numa exposição, na Praia Vermelha - Rio de Janeiro e o transmissor foi instalado no alto do Corcovado, pela Westinghouse Electric Co.
Em 1921 haviam 4 emissoras nos Estados Unidos, mas no final de 1922, os americanos contavam 382 emissoras.
 A chegada do rádio comercial não demorou. Logo as emissoras reivindicaram o direito de conseguir sobreviver com seus próprios recursos. A pioneira no rádio comercial foi a WEAF de Nova Iorque, pertencente à Telephone and Telegraf Co..  Ela irradiava anúncios e cobrava dois dólares por 12 segundos de comercial e cem dólares por 10 minutos.
O "pai do rádio brasileiro" foi Edgard Roquete Pinto. Ele e  Henry Morize fundaram em 20 de abril de 1923, a primeira estação de rádio brasileira: Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. Foi aí que surgiu o conceito de "rádio sociedade" ou "rádio clube", no qual os ouvintes eram associados e contribuíam com mensalidades para a manutenção da emissora.

Fonte: http://www.microfone.jor.br/

Nenhum comentário :

Postar um comentário