quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Afinal, correr envelhece ?

Tudo em excesso faz mal à saúde e quanto a corrida não é diferente. Segundo os estudiosos,  a corrida também tem consequências para a pele, incluindo a do rosto.
Um dos problemas envolvidos é o sol. Atividades longas expostas ao sol podem trazer diversos malefícios como câncer de pele, envelhecimento precoce da pele, aparecimento de manchas, rugas e flacidez. O ideal é evitar a exposição entre 10h e 16h, o uso de filtros solares, bonés ou viseiras longas.

Outro problema é o emagrecimento excessivo que acarreta na perda de volume do rosto, gerando flacidez e rugas. Um estudo americano de 2009, realizado com gêmeos idênticos, mostrou que acima de 40 anos o gêmeo que  pesava mais parecia mais novo que seu irmão.
Uma carga exagerada de exercícios físicos pode aumentar a produção de radicais livres, resultando em aceleração do envelhecimento da pele.  Os radicais livres formados pelo excesso do exercício aeróbico promovem a destruição do colágeno, substância que dá elasticidade e consistência à pele. Por isso, quanto maior o tempo dedicado à prática, mais intensa será esta destruição, segundo Valcinir Bedin, dermatologista e diretor do Centro Integrado de Prevenção do Envelhecimento (CIPE). Tanto nas corridas curtas - entre 5 km e 10 km - como nas maratonas (acima de 15 km), há um aporte sanguíneo maior nos músculos - parte do corpo mais utilizada durante a corrida -, além de uma hipóxia (baixo teor de oxigênio) temporária em tecidos menos irrigados, como o rosto, por exemplo, o que favorece a formação de oxigênio reativo.
O impacto da corrida em esportistas frequentes, dia após dia, se reflete por todo o corpo. Inclusive sobre a pele do rosto, o que poderia sobrecarregar o colágeno e as fibras elásticas da pele.
Na verdade, existem diversas opiniões dos pesquisadores a respeito e não se chegou a um concesso.

Fontes:
http://veja.abril.com.br/
http://beleza.terra.com.br/

Nenhum comentário :

Postar um comentário