segunda-feira, 28 de julho de 2014

Restaurantes se adaptam aos sozinhos !

Hoje em dia, vivemos em um mundo onde há um número muito grande de pessoas solteiras e sozinhas ou que na hora do almoço, não possuem companhia. Só nos Estados Unidos, hoje, um em cada sete adultos vive sozinho. Existe ainda o constrangimento de se sentar para comer em um restaurante sem companhia - e o risco de ser visto como um "fracassado, sem amigos".

Sendo assim,  alguns restaurantes nos  EUA, Canadá e Europa já estão se adaptando para atrair esses clientes e acabar com o estigma associado àqueles que pedem "mesa para um".
Aaron Allen, especialista de uma empresa da Flórida que presta consultoria para restaurantes de diversos países, diz que são crescentes os esforços para tornar os estabelecimentos mais acolhedores para esse público.
Entre as estratégias adotadas com tal objetivo estariam, segundo Allen, a instalação de mais assentos de frente para o balcão do bar ou cozinha e o treinamento de funcionários para que sejam mais atenciosos com os clientes desacompanhados.
Segundo os Chefs, os clientes desacompanhados escolhem alguns restaurantes pelo simples prazer de comer bem. Os restaurantes estão aumentando o número de assentos ao balcão, com menus de degustação, que permitem aos clientes desacompanhados se entreter com pequenas porções de até oito pratos durante o almoço ou jantar.
Os garçons estão sempre prontos para uma conversa com quem está sozinho - mas  também evitam incomodar quem não está para muito papo.
No Top of the Market, San Diego, CA 92101, Estados Unidos, os cozinheiros fazem um "show" para os clientes sentados ao balcão.
Segundo alguns estudiosos, há uma série de fenômenos sociais por trás do aumento do número de clientes desacompanhados.
Como exemplo, temos as taxas de divórcio que estão crescendo e as pessoas estão esperando mais tempo antes de se casar. Assim não só há mais sozinhos no mercado, como eles têm mais para gastar com alimentação e a vida em geral.
Os sozinhos possuem um grau elevado de poder de compra. Nos Estados Unidos, por exemplo, o Escritório de Estatísticas do Trabalho calcula que eles gastem US$ 1,9 trilhão por ano.
Em Nova York e Paris, mais da metade das casas é ocupada por apenas um morador. Em Londres, essa taxa é de quase um terço. Em Estocolmo, quase 60% dos habitantes moram sozinhos.
É claro que muitas dessas pessoas também saem para comer com amigos e parentes, mas cada vez mais são frequentes os que não se importam de reservar uma mesa "para um".

Fonte: http://www.bbc.co.uk/

Nenhum comentário :

Postar um comentário