sexta-feira, 25 de julho de 2014

Incandescentes, fluorescentes, led´s, entendam as lâmpadas comercializadas !

Lâmpadas Incandescentes: Foi Humphry Davy, em 1802, construiu a primeira fonte luminosa com um filamento de platina, utilizando-se do efeito Joule, observado quando um resistor é aquecido pela passagem de uma corrente elétrica a ponto de emitir luz visível. Outros tantos inventores tentaram, mas foi  Thomas Alva Edison quem construiu  a primeira lâmpada incandescente
comercializável em 1879, utilizando uma haste de carvão (carbono) muito fina, inserida numa ampola de vidro onde havia sido formado alto vácuo, passava a emitir luz. Hoje em dia a lâmpada possui um filamento de tungstênio cuja temperatura de trabalho chega a 3000°C. O vácuo ou um gás inerte,  ainda persiste para evitar a oxidação do filamento e sua ruptura.
O rendimento de uma lâmpada incandescente é de  5%. Os outros 95 % da energia elétrica consumida  são transformados em calor. 
Lâmpadas Fluorescentes: Inventadas por Nicolas Tesla, empregado de Thomas Edson por um período. Neste tipo de lâmpada, dois eletrodos excitam um gás, geralmente o argônio, no interior de um tubo, que por sua vez gera uma radiação ultravioleta. Esta radiação ao entrar em contato com o fósforo que recobre o tubo, faz com que o mesmo emita luz branca. Podem ser utilizados alguns filamentos para pré-aquecer o interior do tubo e reduzir a tensão elétrica necessária à ionização.
Além de serem de duas a quatro vezes mais eficientes em relação às lâmpadas incandescentes, as fluorescentes chegam a ter vida útil acima de dez mil horas de uso, chegando normalmente à marca de vinte mil horas de uso, contra a durabilidade normal de mil horas das incandescentes. E também geram uma economia de 80 %. Isto porque para seu funcionamento utiliza se alta tensão e baixíssima corrente para ionizar o gás dentro do tubo, daí a necessidade dos reatores. Nas lâmpadas econômicas compradas hoje em dia, o reator está embutido na base da lâmpada através de um pequeno circuito eletrônico.
Lâmpadas de LED:  O LED é um componente eletrônico semicondutor, ou seja, um diodo emissor de luz ( L.E.D = Light emitter diode ). Tal transformação é diferente da encontrada nas lâmpadas convencionais que utilizam filamentos metálicos, radiação ultravioleta e descarga de gases, dentre outras. Nos LEDs, a transformação de energia elétrica em luz é feita na matéria, sendo, por isso, chamada de Estado sólido ( Solid State ).






O LED é um componente do tipo bipolar, ou seja, tem um terminal chamado anodo e outro, chamado catodo. Dependendo de como for polarizado, permite ou não a passagem de corrente elétrica e, conseqüentemente, a geração ou não de luz. Em princípio, uma corrente elétrica ao passar por uma junção semicondutora, dopada com certas substâncias, boro, gálio, e outros, libera luz.  Inventado por Nick Holonyac, em 1963, possuia apenas a cor vermelha, com baixa intensidade luminosa. O LED de cor amarela foi introduzido no final dos anos 60. Somente por volta de 1975 surgiu o primeiro LED. Durante os anos 80, com a introdução da tecnologia Al ln GaP, os LEDs da cor vermelha e âmbar conseguiram atingir níveis de intensidade luminosa que permitiram acelerar o processo de substituição de lâmpadas, principalmente na indústria automotiva. Entretanto, somente no início dos anos 90, com o surgimento da tecnologia InGaN foi possível obter-se LEDs com comprimento de onda menores, nas cores azul, verde e ciano, tecnologia esta que propiciou a obtenção do LED branco, cobrinho, assim, todo o espectro de cores. A luz emitida pelos LEDs é fria devido a não presença de infravermelho no feixe luminoso. Entretanto, os LEDs liberam a potência dissipada em forma de calor e este é um fator que deve ser levado em consideração.
As lâmpadas de LED, são na verdade um conjunto de LED´s agrupados afim de se conseguir a luminosidade adequada. Duram aproximadamente 25 vezes mais do que as lâmpadas incandescentes e três vezes mais do que as lâmpadas fluorescentes compactas – estamos falando, talvez, de 25 mil horas a mais de luz. Instale uma hoje e, quando ela queimar, você pode não estar mais morando na sua casa nem estar vivo para a substituição.

Nenhum comentário :

Postar um comentário